da VIPização e ROSição da Justiça

Antídoto. Imunidade, Humanidade...

Começo por dizer que tive muitas dúvidas sobre o local onde publicaria estas minhas palavras. Se no meu blogue pessoal, se neste Antídoto, de abraço luso-brasileiro. Decidi-me pelo que vêem; se é certo que o tema assenta num caso português, sei que para o Brasil nada disto é estranho (serão estranhos os nomes, que nem uso, mas não a essência da questão).

Rosa VIP

Cenário: No processo, a fazer fé no que leio, o arguido vem acusado de violência doméstica sobre a queixosa. Ambos são, diz a realidade do que se publica e do que se esquece, V.ery I.mportant P.erson; o que quer que isso seja.

O arguido chama-se X e a queixosa Y — e é por Senhor e Senhora que o magistrado judicial os deve tratar; os títulos, que são mais uma gravata a apertar o pescoço deste país sem ar, não são chamados à sala…

View original post mais 621 palavras

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s