A pujança analítica dos neo-“jornalistas”

Abri o “artigo” porque o resumo me despertou curiosidade. E já estava a pensar que o tipo tinha apanhado algum vírus benigno, quando de repente me deparo com esta declaração.

“Eu sou a favor da privatização da TAP. E também sou a favor da concessão dos transportes públicos de Lisboa e do Porto, até porque sou utente e já não aguento mais greves do metro.”

Reparem na razão, aqui primeira, que leva o infeliz a ser contra a privatização de que fala. É desta massa que é feita alguma direita; egoísmo sórdido e indisfarçado, ausência cerebral. Ele lá quer saber se a privatização é ou não favorável aos interesses do Estado. Ele só não quer é ser incomodado pelas greves, sem se preocupar em sequer saber o que as origina.

É certo que o pequeno homem acaba por discordar desta privatização, mas pelo timing e pela forma. Mas isso qualquer batata com olhos percebe. Menos o governo, que está em cumprimento de empreitada. Se falha prazos, leva com o dono da obra.

Ia-me esquecendo de nomear o “cgonista”; joao miguel tavares. Diz que é jornalista. E alinha letras no Público. O que é uma maçada… para o Público. Hoje até resolveu atacar uma decisão do governo; convém parecer sério, uma vez por outra.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s