Eu, Canhoto

Já dei inicio a uns quantos blogues, desde 2004. E nestes onze anos, tanto mudou e tanto mudei. Deste não espero nada de especial. Quero apenas mudar o mundo. Haverá algo mais simples de querer, mais difícil de ousar e haver? Pergunta que induz uma negativa, bem sei. Mas não é assim, creiam. Basta Ser.

Não me conformo com o que vejo, com o que sinto, com a forma a que os homens reduziram “este mundo”. Não me conformo, e também por isso existo.

Não é exercício de arrogância querer mudar. Arrogância é não ousar; é como que uma espécie de sobranceria, de altivez infecunda que nos leva a deixar tudo na mesma. Como aquele pasteleiro que interrompeu a venda enquanto a Bastilha caía. E depois a continuou, como se a Bastilha não tivesse sido tomada. E os pastéis lá continuaram a render.

Mudar o mundo passa por algo de tão singelo como ousar existir, sem transigir com o medo.

Este foi o meu “Before I speak, I have something important to say“, nas palavras do Groucho Marx. E está apresentado o “Eu, Canhoto”.  

Anúncios

3 thoughts on “Eu, Canhoto

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s